Intolerância à Lactose
Saiba um pouco mais de como tratar bem sua saúde
13/06/2016
18:39:53
1 comentário

Intolerância à Lactose

 

A lactose é o principal carboidrato encontrado no leite de mamíferos e produtos lácteos, sendo a principal fonte de nutrição nos primeiros meses de vida.

Compreende-se como intolerância à lactose ou hipolactasia a redução dos níveis de lactase na mucosa intestinal. A lactase é uma enzima que se localiza no intestino delgado e possui dois sítios de atividade. Um hidrolisa a lactose, dando origem a uma molécula de glicose e uma de galactose, que são absorvidos através de transportadores. O outro sítio é responsável pela hidrólise de florizina, com a formação de esfingomielina, importante para o metabolismo, principalmente no cérebro. Encontra-se reduzida em dois tipos de situações, por controle genético ou por doenças que cursem com destruição da mucosa intestinal, incapacitando o organismo de digerir o açúcar presente no leite.

 

Quando o exame é pedido?

Frequentemente a intolerância à lactose é sugerida pela história clínica. Os sinais e sintomas da intolerância à lactose geralmente começam entre 30 minutos a 2 horas depois de comer ou beber alimentos que contenham lactose. Os sintomas mais comuns incluem: diarreia, cólicas abdominais, flatulência e abdômen distendido. Nos adolescentes, náuseas e vômitos também são comuns. A fermentação da lactose pelas bactérias produz ácidos, o que torna as fezes mais ácidas e pode causar irritação (assaduras) na região anal.

A gravidade dos sintomas de intolerância à lactose varia de pessoa para pessoa. Esta variabilidade depende da quantidade de lactose presente na dieta e do grau de insuficiência da enzima lactase de cada indivíduo.

 

Quem pode fazer esse exame?

Não existem contraindicações para a realização do exame de tolerância a lactose, podendo ser feito por qualquer pessoa que tenha indicação médica.

   

Existem três tipos de testes para diagnosticar a intolerância a lactose

 

Curva de tolerância à lactose

Após a ingestão de 50g de lactose com água, medimos a glicose no sangue no período de 2 horas em três coletas de sangue para analisar se houve elevação dos seus níveis. Em pessoas sadias, a lactose é quebrada em glicose e galactose, sendo reabsorvida pelo intestino e lançada na corrente sanguínea. Nos pacientes com deficiência de lactase, a lactose não é digerida e a glicose contida nela não é absorvida. Logo, a elevação da glicose sanguínea é apenas discreta nestes pacientes.(COLETA DE SANGUE)

Teste respiratório para pesquisar a eliminação de hidrogênio

Em geral, eliminamos apenas pequenas quantidades de hidrogênio pelos pulmões. Já os pacientes com intolerância à lactose produzem grandes quantidades de hidrogênio no cólon, sendo parte desse gás reabsorvido para o sangue e eliminado pelos pulmões através da respiração. Este teste, portanto, consiste na pesquisa de hidrogênio no ar expirado após o consumo de lactose.(COLETA DO SOPRO)

Teste genético de detecção da Intolerância à Lactose

A lactase é a enzima da mucosa intestinal responsável pela hidrólise da lactose nos seus constituintes absorvíveis, glicose e galactose. Porém, na vida adulta, essa enzima pode não ser mais sintetizada, principalmente em descendentes de origem européia. A principal variante genética, a mutação C/T -13910 localizada no promotor do gene da lactase, faz com que o gene permaneça ativo mesmo após a suspensão da lactação. Assim, os portadores desta variante são tolerantes à lactose devido à persistência da produção da enzima que a degrada. Após a suspensão da lactação, os indivíduos que não produzem a enzima lactase, são intolerantes a lactose e apresentam sintomas, principalmente intestinais, quando ingerem leite ou outros produtos que contenham lactose. O teste genético para tolerância à lactose tem como objetivo o auxílio diagnóstico da hipolactasia primária e apresenta uma alta correlação com as provas funcionais, ou seja, os portadores do genótipo CC, genótipo associado a não persistência de lactase, tendem a apresentar provas funcionais alteradas. Realizamos a detecção da rs4988235 (LCT-13910) e da rs182549 (LCT-22018), ambas relacionadas a intolerância a lactose na população brasileira.(COLETA DA SALIVA)

A ocorrência de diarreia em qualquer dos três testes, ainda no laboratório e/ou nas primeiras horas a seguir, reforça a conclusão de diagnóstico positivo para intolerância à lactose.

 

O LABORATÓRIO PASTEUR, realiza a detecção da intolerância à Lactose nesses três métodos, verifique qual teste melhor se adapta a você e venha tirar suas dúvidas conosco.

 

Estudo realizado por: 

Dra. Samanta Motta Ribeiro (CRMB 2545)

Comentários (1)
  • Andrea
    15/09/2016 - 02:35:55
    Olá, minha filha fez o teste genético de intolerância a lactose no laboratório Pasteur, pediram jejum sendo q este exame não necessita de jejum, também não pediram para fazer lavar a boca com água potável, sendo q ela tinha escovado os testes antes de 30 minutos do exame, que tipo de treinamento vcs dão para q seus técnicos para fazer este tipo de exame? O exame de minha filha pode dar alterado? Não estou satisfeita com a forma de trabalho do laboratório Pasteur.
Deixe um comentário
Receba nossas novidades
Cadastre seu e-mail e receba nossas ofertas e notícias
Copyright 2014 © Todos os direitos reservados.